Afirmações positivas para pessoas que têm transtorno de pânico

 

Afirmação é qualquer coisa que nós dizemos ou pensamos. Não nos damos conta disso, mas muitas vezes os nossos pensamentos são bastante negativos, seja a nosso próprio respeito, seja a respeito dos outros, das experiências que vivemos e do nosso futuro. Expressamos os nossos pensamentos em palavras, e se os pensamentos são negativos, as palavras também  serão. Exemplos de pensamentos automáticos disfuncionais no transtorno de pânico:

 

“Meu coração disparou! Ele está batendo tão forte! Ai, meu Deus, vou ter outro ataque!”

 “Vou ter que entrar nessa loja cheia de gente... já tive ataques de pânico em lojas assim... acho que não vou conseguir...”.

 “Isso é demais! Não aguento mais! Tenho que sair daqui antes que eu desmaie ou morra!”

“Do modo como estava, certamente teria desmaiado ou teria feito um papelão na frente de todos!”

“Sou tão fraca por ter estes receios, mas não consigo controlá-los! Ninguém mais passa por este mesmo problema. Eu nunca vou melhorar.
Eu nunca serei a mesma novamente”.

“Nunca vou melhorar. O que tem de errado comigo, afinal? Sou muito fraca para suportar estes medos”.

"Estou perdendo o controle!"

"Vou desmaiar, com certeza!"

 "Isto é muito difícil, não vou conseguir".

“Nunca me livrarei do pânico”.

“Vou ter que passar por isso pelo resto de minha vida”.

“Todos estão me achando ridículo (a)”.

“As pessoas sempre julgam mal as outras”.

“Eu tenho que causar um boa impressão ou será uma catástrofe”.

“Todos vão pensar que sou fraco (a) ou louco (a)”.

 

São pensamentos que temos e frases que pronunciamos sem perceber o efeito negativo que exercem sobre nós. Mesmo que alguns pensamentos não sejam incorretos eles são inúteis e improdutivos e só fazem com que nos sintamos pior. Dessa forma, o que proponho é que tomemos consciência dos nossos pensamentos e palavras limitantes para trocá-los por pensamentos mais funcionais; que saibamos escolher palavras que irão ajudar a criar algo que nós queremos e não a nos manter em sofrimento. Uma afirmação positiva te dá mais ânimo, te motiva; ela é o ponto de partida do caminho para a mudança. É como se dissesse ao seu inconsciente:

 

"Assumo a responsabilidade por me sentir melhor. Estou disposto (a) assumir as mudanças necessárias para viver melhor. Estou consciente de que posso fazer algo para mudar".

 

Cada pensamento que temos ou cada palavra que pronunciamos é uma afirmação. Todo o nosso diálogo interno é um fluxo de afirmações. De forma consciente ou inconsciente usamos afirmações o tempo todo. Criamos as nossas experiências de vida com cada palavra ou pensamento. As afirmações expressam as crenças a respeito de nós e do mundo, que vão sendo construídas desde a infância.

 

As nossas crenças são capazes de nos fazer felizes, mas também podem limitar a nossa possibilidade de criarmos as coisas que dizemos desejar. O que nós queremos e aquilo que acreditamos merecer podem não ser a mesma coisa. É preciso estar atento aos pensamentos e às palavras que expressamos para começar a abrir mão daqueles que criam as experiências que não desejamos para as nossas vidas. O que pensamos acabamos produzindo. Por isso propomos que você comece a mudar a sua realidade mudando seus pensamentos e também os seus comportamentos. Mesmo que os seus pensamentos continuem a te dizer que você não é capaz, você pode se comportar como se fosse. Quero dizer com isso que é possível se comportar de forma diferente do que você sente e pensa. Não espere conseguir mudar seu pensamento para então mudar seu comportamento, mas podemos procurar alterar os dois ao mesmo tempo.  Dessa forma, você pode procurar enfrentar uma situação social mesmo que seu pensamento continue afirmando que você não é capaz. Bom, a parte estritamente comportamental procuraremos abordar num outro momento agora vamos nos ater as afirmações positivas e aos pensamentos. 

 

Pensar negativamente não é um defeito. Simplesmente nunca aprendemos como pensar e falar corretamente. A descoberta de que os pensamentos criam as nossas experiências é bastante recente. Os seus pais provavelmente não sabiam disso, portanto não podiam ensinar. Eles simplesmente reproduziram o modo como os pais deles lhes ensinaram a olhar a vida. Ninguém está errado. Mas agora você já está informado e pode se reeducar a pensar de modo diferente.

 

Antes de passarmos para as afirmações vou te explicar que às vezes as pessoas pronunciam as afirmações uma vez por dia e durante o resto do tempo reclamam. Se forem feitas dessa forma a tendência é que elas não funcionem. Porque as afirmações negativas prevalecerão em virtude de serem muito mais frequentes e feitas com muita emoção. Pronunciar afirmações é apenas parte do processo. O que faz no resto do dia e da noite é ainda mais importante. O ideal é que você use as afirmações positivas e concomitantemente use o registro de pensamentos disfuncionais e a correção racional desses pensamentos disfuncionais.

 

Já falamos anteriormente sobre o registro de pensamentos disfuncionais. Ao mesmo tempo em que você vai procurar identificar os pensamentos negativos que geram sofrimento, você os procurará corrigir, logo que possa parar para escrever. Assim que tiver proposto novos pensamentos funcionais aí eles podem se tornar afirmações positivas para você.

 

Outra parte do tratamento é você escolher algumas afirmações positivas para repetir a você mesmo diariamente. Se você quer mudar o seu estado de humor é preciso mudar seus pensamentos. Pensamentos podem se tornar hábitos bons ou prejudiciais para nós. Este tratamento objetiva te deixar mais consciente desses pensamentos para que você possa alterá-los e criar o hábito de ter pensamentos que te beneficiem. Pela repetição de afirmações positivas você aprenderá a ter pensamentos que te dirijam para os seus objetivos. No início é mais difícil, e você pode até se censurar achando que é um processo ridículo e irreal. Mas vença a resistência e insista. Nós aprendemos pela repetição. De tanto repetir a informação ela se torna parte de nosso inconsciente de modo que não precisamos mais nos esforçar para ter aqueles pensamentos. Eles já se tornam parte de nós e nos guiam para os nossos propósitos. Também sugiro que evite falar das suas afirmações com outras pessoas, pois elas podem querer ridicularizar essas ideias. Enquanto estiver começando, é preferível manter esses pensamentos somente para você até ter alcançado os resultados desejados. Aí você poderá falar deles sem se preocupar com a opinião do outro porque já vivenciou seus benefícios e não precisará provar nada a ninguém.

 

Antes de sugerir as afirmações uma última recomendação. Não se culpe ou se martirize se perceber que tem muitos pensamentos negativos irracionais durante o dia. Primeiro os aceite deixe que eles entrem, mas depois aos poucos de forma paciente e persistente procure corrigí-los. Nesse momento, trate a sua mente como se fosse uma criança pequena que está sendo educada por pais amorosos. Aceite que ela ainda não sabe, que ainda está aprendendo e tenha paciência de explicar várias vezes das mais variadas formas. Até que com essa repetição ela passe a se apropriar da informação e a tomar como sua. Escolha algumas declarações positivas abaixo. Se quiser pode criar suas próprias afirmações:

 

“Já sei que meus comportamentos derivam de meus pensamentos”.

 

“Decido ter pensamentos que me incentivem a melhorar”.

 

“Sei que a  forma como me sinto deriva da forma como penso”.

 

“Escolho ter pensamentos que me favoreçam”.

 

“Mesmo estando ansioso continuo  desempenhando as minhas atividades”.

 

“A ansiedade pode ser desconfortável, mas não é perigosa”.

 

“Posso aprender a manejar bem os sintomas de ansiedade”.

 

“Estou livre para ir e vir”.

 

“Me permito cada vez mais liberdade de ir e vir sem me preocupar com minhas sensações”.

 

“Já sei que a crise de pânico não me fará enlouquecer”.

 

“Aceitando as sensações do ataque de pânico faz com que elas diminuam”.

 

“Já sei que ninguém morre devido a um ataque de pânico”.

 

“Já passei por isso outras vezes e depois fiquei bem”.

 

“Se passar por isso novamente sei que ficarei bem”.

 

“Confio em meu corpo”.

 

“Aprendendo a confiar em meu corpo terei cada vez mais controle sobre ele”.

 

“quanto mais eu aceitar essas sensações mais brandas elas ficam”.

 

“Não luto mais contra as sensações e elas logo vão embora.”

 

“Decido fluir com essas sensações”.

 

“Quando sinto ansiedade decido contemplar as coisas ao meu redor”.

 

“Decido tirar o foco das sensações ruins”.

 

“Mesmo ansioso continuo fazendo minhas tarefas bem devagar”.

 

“Escolho focar no meu bem-estar ao invés do mal estar”.

 

“Posso estar relaxado e controlado ao mesmo tempo”.

 

“Escolho me sentir mais confortável em lugares fechados”.

 

“Escolho me sentir mais confortável em lugares que antes temia”.

 

“Mereço me sentir livre e seguro onde quer que eu vá”.

 

“Mereço me sentir confortável e com senso de liberdade quando quero sair de casa”.

 

“Escolho me libertar dos pensamentos de autopreciação”.

 

“Invisto em minha autoestima me tratando bem”.

 

“Sei que posso conseguir tudo de que sou capaz”.

 

“Para eu ter uma boa autoestima me comprometo diariamente com meus próprios objetivos”.

 

“Eu sei que o erro faz parte do aprendizado”.

 

“Não preciso ser perfeito para ser admirado e amado”.

 

“Sinto-me bem do jeito que sou”.

 

“Abro mão de minha necessidade de controlar a ansiedade. Eu a aceito”.

 

“Mesmo que não goste de sentir ansiedade, sei que posso conviver com ela e dessa forma ela não me domina”.

 

“A cada dia convivo melhor com a ansiedade e isso me dá mais autoconfiança”.

 

“A partir de agora as minhas ações confirmarão as minhas palavras”.

 

© 2020 By Prisicila Silveira