Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

 

O que caracteriza esse transtorno é a compulsão a se preocupar. A pessoa que recebe este diagnóstico relata não conseguir deixar de se preocupar seja com a saúde, aspectos financeiros, problemas do trabalho ou relacionamentos afetivos. Qualquer situação até certo ponto irrelevante do cotidiano pode se tornar o objeto das preocupações. Estas preocupações se impõem a consciência da pessoa de modo que ela não consegue se desligar delas, sendo na maioria das vezes francamente desproporcionais ao problema. Situações ainda que relativamente simples dominam a mente do paciente que diz não conseguir se desligar delas. É quase que uma tendência obsessiva a se preocupar em excesso.

 

SINTOMAS FÍSICOS:

Existem sintomas físicos que frequentemente acompanham o sofrimento do paciente como suor excessivo, transtornos gastrointestinais, cefaleia, tensão muscular, fadiga ou sensação de cansaço contínuo, dores musculares, dores ou queimação no estômago, taquicardia, tontura, formigamento e alterações do apetite.

 

DIAGNÓSTICO:

É uma condição crônica. Para o seu diagnóstico é necessário que este estado persista pelo menos por 6 meses. De acordo com os relatos dos pacientes, os sintomas começam a aparecer no início da vida adulta, quando assumem maiores responsabilidades.

A pessoa apresenta grandes dificuldades de se deter ao momento presente. Tende a deslizar sem querer em direção ao futuro, mas o futuro que a aguarda não é um futuro agradável e promissor e sim um futuro indesejável. Desta forma, o sofrimento do paciente ansioso crônico é bastante acentuado e o leva frequen-temente a queixas somáticas associadas com insônia, alteração do apetite, queixas gastrointestinais, dor de cabeça e uma miríade de outros sintomas que resultam numa sensação crônica de fadiga. Com o passar do tempo essa ansiedade pode gerar um estado depressivo secundário chamado de transtorno misto de ansiedade e depressão.

Para se fazer o diagnóstico de uma síndrome ansiosa, também é necessário verificar se os sintomas ansiosos causam sofrimento clinicamente significativo e prejudicam a vida social e ocupacional do indivíduo.

 

CARACTERÍSTICAS DO TAG:

Ansiedade e preocupação excessivas, na maioria dos dias por período mínimo de 6 meses, em diferentes atividades e eventos do dia.

A pessoa considera difícil controlar a ansiedade e a preocupação.

 

A ansiedade e a preocupação estão associadas a pelo menos três dos seguintes sintomas:

  • Alteração do sono (dificuldade de pegar no sono ou mantê-lo). O Sono não é reparador.

  • Cansaço fácil, fatigabilidade.

  • Dificuldade para concentrar-se, sentir um “branco” na mente.

  • Inquietação ou sensação de estar com os “nervos à flor da pele”

  • Irritabilidade (“pavio curto”).

  • Tensão muscular, dificuldade para relaxar.

Segundo pesquisas cerca de 8% da população sofre com este transtorno. Sendo desta forma considerado um problema de saúde pública.

 

Muitas vezes não é reconhecido como um problema de saúde e por esta razão as pessoas que sofrem deste transtorno não procuram um tratamento.  A Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) apresenta excelentes resultados com pacientes ansiosos crônicos ajudando-os a ter um maior rendimento em suas atividades laborais e ter melhor qualidade de vida.

 

TRATAMENTO COM TCC:

Ampliação do campo da percepção do paciente a respeito de como ele lida com o futuro e com seus problemas cotidianos. Perceber que parte de premissas errôneas para lidar com estes problemas, tendendo a catastrofizar as preocupações mínimas do dia-a-dia. Busca-se reverter esse padrão de pensamentos e interpretações equivocadas geradoras de emoções  negativas e comportamentos disfuncionais.  Os clientes muitas vezes tomam consciência de suas posturas rígidas, estereotipadas e interpretações absolutistas. A partir dessa conscientização optam por ampliar seu repertório de respostas cognitivas e emocionais flexibilizando suas interpretações.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  • Vencendo a ansiedade e a preocupação com a terapia cognitivo-comportamental. David Clark e Aaron Beck.

  • Diagnóstico Psiquiátrico, Um Guia. Marcos de Jesus Nogueira.

 

© 2020 By Prisicila Silveira